Seção de atalhos e links de acessibilidade

APDM-MT, SETASC e demais parceiros realizam webinário para o combate à violência contra a mulher


Fonte: Agência de Notícias da APDM


Publicado em: 13 de Outubro de 2021 (Atualizado há 2 meses atrás)


Data: 13 de Outubro de 2021

Fonte: Agência de Notícias da APDM


A Associação para o Desenvolvimento Social dos Municípios de Mato Grosso (APDM-MT), considerando a importância da campanha Agosto Lilás, em parceria com a AMM (Associação Mato-grossense dos Municípios; Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (SETASC); Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM); Coordenadoria Estadual da Mulher (CEMULHER); Defensoria Pública; Associação de Mulheres do Estado de Mato Grosso; Delegacia Especializada da Mulher de Cuiabá; Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil, realizará no dia 09 de agosto, quinta-feira, um webinário com o tema “Agosto Lilás, Mato Grosso no Combate à violência Contra a Mulher”. O evento acontecerá às 14h, horário de Cuiabá e terá transmissão ao vivo pelo canal do Youtube da APDM-MT e da SETASC.

Durante o Webinário, temas pertinentes ao Agosto Lilás serão trazidos por mulheres do estado de Mato Grosso. A Rede de Proteção a Mulher dos Municípios estará à disposição para tirar dúvidas e compartilhar experiências exitosas. A abertura será realizada pela presidente da APDM-MT, Scheila Pedroso e pela Secretária da SETASC, Rosamaria Carvalho. As convidadas e pautas a serem fomentadas são:

1)    Sandra Raquel - Associação de Mulheres do Estado de Mato Grosso.
Temática: Relatos de superação – Antes e depois da Violência Doméstica.

2)    Desembargadora Maria Erotildes Kneip - Coordenadoria Estadual da Mulher (CEMULHER).
Temática: A importância do Poder Judiciário no fortalecimento da Rede contra a Violência Doméstica.

3)    Doutora Rosana Leite - Defensoria Pública.
Temática: O papel do Núcleo de Defesa da Mulher da Defensoria Pública na proteção às mulheres.

4)   Doutora Glaucia do Amaral - Conselho Estadual Dos Direitos da Mulher de Mato Grosso e Procuradora do Estado.
Temática: A importância dos Conselhos Municipais do Direito da Mulher.

5)    Jozirlethe Magalhães Criveletto - Delegacia Especializada da Mulher de Cuiabá.
Temática: A delegacia da mulher como política pública e os avanços decorrentes da pandemia covid-19.

6)    Tenente Coronel Emirella Martins - Polícia Militar.
Temática: Atividades/Ações da Patrulha Maria da Penha na capital e interior: avanços e desafios a superar.

7)     Juliana Rado - Plantão de Violência Doméstica contra Mulher de Cuiabá.
Temática: As medidas de urgência da Polícia Civil no combate à violência doméstica contra a mulher.
    
A campanha do Agosto Lilás faz menção à Lei Maria da Penha, assinada em 7 de agosto de 2006, que neste ano está completando 15 anos de existência. A lei foi nomeada assim em homenagem à farmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes, que sofreu agressões do ex-marido durante 23 anos e ficou paraplégica após uma tentativa de assassinato. O julgamento do caso na época demorou por falta de uma legislação que atendesse em específico aos crimes contra a mulher. Hoje, a lei 11.340/2006 considera o crime de violência doméstica e familiar contra a mulher como sendo “qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”.

Para a presidente da APDM, Scheila Pedroso, o mês de agosto busca a igualdade, respeito e sobretudo o combate à violência. “Durante o mês de agosto estaremos intensificando nossa atenção para a causa, voltada ao combate da violência contra a mulher. É necessário que todos nós estejamos atentos, não somente nesse mês, mas durante todo o tempo, porque a violência contra a mulher, por vezes, passa despercebida aos olhos da sociedade e por isso a importância de discutirmos o tema, trazendo informações, como o Webinário realizado com as autoridades para a conscientização da população que nos acompanha”. Enfatizou Scheila.

Para o mês de agosto a APDM-MT, além de promover o debate de pautas em combate à violência contra a mulher, também lançará o filtro da campanha em suas redes sociais, para que, ao ser compartilhado inspire outras pessoas, impulsionando a atenção da população para a causa.